segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Passeios de Verão 2009 no Parque Natural de Montesinho

Mais uma vez este ano.. passei uns dias de neste amplo espaço que dá pelo nome de Parque Natural de Montesinho!... Local especial para passar Férias com a família... local por mim eleito como um dos melhores espaços para a práctica do BTT.

Este ano alternei entre Grandes Percursos de 80..90kms com Percursos mais pequenos 20..30kms..estes últimos na companhia da Anabela!.... Sim palavra especial para a Anabela que regressou aos cranks. Assumida como praticante de BTT mas de uma forma mais relaxada.. . com o objectivo de tirar partido do 'grande espaço'...seja no acto de pedalar, parando para observar o espaço que circunda, descansar à sombra de uma árvore... Percursos feitos com a Anabela estão resumidos em PNM - Ao redor de Lagarelhos

Anabela e Eu no charco do Pq Biológico Vinhais
Os Grandes Percursos foram feitos com o Pedro Cívil, meu amigo de Bragança..que tal como eu tem boa capacidade de 'sofrimento' .. . Pedalamos pela Zona Oriental do PNM, no percurso denominado por PNM - Serra de Montesinho e pela Zona Ocidental do mesmo denominado o percuro por PNM - Serra da Coroa..


Eu no meu melhor - Rio Verde

PNM -Em redor de Lagarelhos

Saimos de Lagarelhos em direcção ao Barracão...Meiral...Rib de Rio De Fornos...Ciradelha...Parque Biológico de Vinhais... Represa de água...Planalto Paçó-Travanca...Travanca...regresso a descer até Lagarelhso

video

PNM - Serra de Montesinho

Esta foi uma etapa longa!... iniciada ás 7:30am em Bragança juntamente com o Pedro Civil!... este conduziu-nos ao longo de um excelente percurso que culminou na Serra de Montesinho!...No final o Saldo foram 93Kms e 2450m de acumulado de subida..simplesmente EXCELENTE


Pedro Civil no alto da serra de Montesinho

video
PNM - Serra da Coroa
Este foi outro grande percurso percorrido no Parque Natural de Montesinho, desta feita na zona Ocidental área do parque que pertence ao Concelho de Vinhais... Esta zona é para mim muito bem conhecida! mais uma vez o início deu-se às 7:30am.


Fonte em Vinhais

Encontrei-me com o Pedro em Vinhais.. primeiro desafio é a grande a longa subida até ao parque Biológico de Vinhais, 3 kms a subir. Segui-se até á represa e percorreu-se aquilo que eu chamo o planalto Paçó-Travanca... passagem ao largo de Travanca e subida ao alto da Coroa pelo lado Norte, desse lado é possível observar numa primeira fase o vale com as Aldeias de Santa Cruz, Dine e Fresulfe... Prossegue-se o caminho e logo a seguir avista-se as aldeias de Moimenta e montouto ao longes as serras espanholas encimadas por dezenas de geradores eólicas.. è muito bonito

Chegados ao topo dos 1275m da serra da Coroa... é agora tempo de descer à Quadra seguido de Tuizelo, descida rápida em estradão a convidar à velocidade. Paragem breve para o 'mata-bicho'..continua-se a descer até Vilar de Ossos, sobe-se ligeiramente a Zido depois Lagarelhos...nova descida até Rio de Fornos e depois até Vinhais. Todo este percurso de Tuizelo a Vinhais tem a particularidade de ser rápido e em local sombrio..muito agradávél.


Lá no alto da Coroa
Uma vez em Vinhais.. segue-se aquilo que se pode dizer a 3º parte do percurso..hehehehe...Bairro do Carvalhal e Upa Upa até Moaz...valente subida... foi depois de Moaz que houve alguma dificuldade para encontrar o caminho correcto para a Quinta da Ribeirinha...mas já se sabe, acaba-se por encontrar.
Moaz
Contorna-se o vale durante uns 3-4kms descendo mesmo até ao fundo... com o calor a apertar tinhamos pela frente uma potende subida com 485m de desnível que como não poderia deixar de ser foi vencida..até Vale de Janeiro... Estava quase feita a volta..Levei o Pedro até Curopos.. este seguiu para Vinhais eu da minha parte tinha que encontrar o caminho para a Quinta das Cavages onde me iria juntar á minha família para esplendoroso piquenique. No final o perurso saldou-se em 80kms e 2100m de desnível acumulado..tá-se a ver!...hehehehe


O rio nas 'Cavages'

video
K2BTT
'sempre a pedalar por um trilho diferente'

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

GR 22 - Rota das Aldeias Históricas



Breve Introdução sobre o GR22:
“Rota das Aldeias Históricas” é um percurso de grande rota que une as dez aldeias históricas (Almeida, Castelo Mendo, CasteloNovo, Castelo Rodrigo, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão e Sortelha). Ao longo de toda a sua extensão (cerca de 540 Kms) percorre 17 concelhos da Beira Interior, abrangendo um total de 52 povoações. Num cenário de grande riqueza natural e atravessando três áreas protegidas (Parque Natural da Serra da Estrela, Parque Natural do Douro Internacional e a Reserva Natural da Serra da Malcata) este GR não esquece os saberes e os valores de um vasto património que caracteriza esta região. Antes de mais, como percurso de BTT, a “Grande Rota das Aldeias Históricas” pretende ser o meio pelo qual é possivel divulgar e dar a conhecer uma região que, pelas suas caracteristicas naturais e valores patrimoniais, é merecedora de uma visita e preservação.

Esta Rota de 540 Kms está pensada para ser feita em BTT em 7 longas etapas de cerca de 75kms cada uma.. num total de 12000m acumulado..
1.Linhares da Beira - Marialva do Castelo
2.Marialva Do Castelo - Castelo de Rodrigo
3.Castelo Rodrigo - Sortelha
4.Sortelha - Monsanto
5.Monsanto - Castelo Novo
6.Castelo Novo - Piodão
7.Piodão - Linhares da Beira


K2BTT TEam

Foi nos dias 8, 9 e 10 de Agosto.. que eu (Joaquim Pereira), o Fernando Silva e o Vasco Sousa iniciamos a nossa epopeia de BTT de 3 dias!.. tinhamos no entanto decidido percorrer 5 das 7 etapas mas em 3 dias!... diga-se que foi uma boa decisão.... não fizemos as etapas 6 e 7... estas serão percorridas num futuro fim de semana ..são mais de 140Kms com 5600m desnível...

Remetendo então para o nosso percurso, este foi assim dividido:
Dia1: Linhares da Bbeira - Figueira de Castelo Rodrigo (125ms...2250m acumulado)
Dia2: Figueira de Castelo Rodrigo - Sortelha (135Kms ...1950m acumulado)
Dia3: Sortelha - Castelo Novo (140Kms ....2450m acumulado)


JoaquimP, 'sobre o trilho'

Vindos de Santa Maria da Feira (Joaquim Pereira), Oliveira de Azeméis (Fernando Silva) e Aveiro (Vasco Sousa) para combinarmos a logística necessária bastou a troca de 2 telefonemas e 2 e-mails e no dia certo à hora certa lá estávamos no ponto e partida... Junto ao castelo de Linhares da Beira.

DIA1: Linhares da Beira - Figueira de Castelo Rodrigo
Começou o dia cedo... ás 7:00am estava a sair de casa (Santa Maria da Feira) a caminho de Oliveira de Azeméis... aí chegado teria de passar as minhas coisas para o carro do Fernando, carro esse que nos levaria até ao ponto de partida.. o meu carro seria usado 2 dias mais tarde para nos ir buscar a Castelo Novo (tarefa incumbida ao Rui Miranda - o meu sempre prestável e simpático Primo)... Bikes bem aconchegadas sapatos SPD, capacete, GPS.... Rumo a Linhares ...tudo parecia estar a correr bem.. não fora à chegada ter detectado que a minha mochila de viagem (camelback) tinha ficado no meu carro em Oli. Azeméis.... "Grande Galo"... os meus pertences lá ficaram os GPS's estavam connosco e o meu material necessário para pedalar tb...levei uma pequena mochila (Decathlon) oferecida à 2 anos na Maratona do Mondego... sendo que o mais falta fazia era a nutrição que tinha preparado para 3 dias... haveria que distribuir a nutrição existente entre os 3....

Fernando 'o verdadeiro rider'
Precalço vencido ás 9:30 partimos... 1h depois da hora prevista... 'No Problema'.... Tomado contacto com o Track no GPS... tivemos alguma dificuldade em nos posicionar sobre o trilho... mas nada que nos faça tombar.. e lá avançamos..directos á... Carrapichana...Em breve estavamos familiarizados com o Track vs trilho no terreno... sendo que diversas vezes o Track afastava-se das marcações/balizas (brancas e vermelhas) existentes no terreno...
Em breve estávamos com Trancoso á vista!... depois de uma excelente subida no interior de um vale, com o calor a apertar sobre nós... o cheirinho a vegetação de VERÃO lá chegamos ao alto, do nosso lado esquerdo.. estava Trancoso... trilha-se caminho... agora no alto a progressão é mais fácil... e assim foi... rumo a Marialva por estradões de perder de vista..lá ao fundo Marialva... estávamos ainda frescos.. mas o calor apertava...tinhamos tb fome mas o Objectivo era almoçar em Marialva.. e assim foi ao 65km lá estávamos..antes de trepar atá ao cimo...a prioridade era comer... e assim fizemos... Só depois subimos ao cimo do Castelo de Marialva... Bem haja à preservação das Aldeias Históricas..Lindo.. Granito com Força...
Vasto planalto, ao fundo Marialva do Castelo
Marialva do Castelo

Rumo a Figueira de Castelo Rodrigo.. estavamos a meio percurso.. e o calor apertava de fartura..... dificultando-nos a progressão.. na zona da aldeia de Juízo foi onde nos sentimos pior (16h:30m)...à mistura com algumas dificuldades em seguir o track...a partir do 90km fomos em direcção a Cidadelhe..tinhamos o Vale do Côa pela frente...que descida... de dar vertigens... lá no fundo deparamo-nos com uma subida vertiginosa também..uma autêntica parede!.. mas claro que foi vencida...UPA..UPA... "movido a carvão"..
Vale do rio Côa

Daí até Fig. Castelo Rodrigo.. faltavam uns 20Kms... paragem em Freixedo do Torrão para uns panachés e para ser mordido por uma vespa..Arre que doeu... Chegamos a Fig.Castelo Rodrigo!... estavamos com 125ks feitos... Fomos para a Residencial.. bikes arrumadas e banhos tomados..Jantamos espectacularmente... Estavamos a precisar !... Descansar precisa-se.

'Pausa à chegada a Figueira de Castelo Rodrigo'
video
O video do GR22 dia1 ao som de Matrix

DIA2: Figueira de Castelo Rodrigo - Sortelha

Noite bem Dormida!... embora o corpo pedisse mais cama.. a mente mandava levantar… a alvorada foi ás 7:30am… a manhã estava clara e limpa.. Saimos de Figueira de Castelo Rodrigo ás 9:00am, lá no alto a Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, cedo a primeira subida do dia durante a qual surgiu o primeiro precalço do dia!... um furo.. coisa normal… (no dia anterior tinhamos tido um furo). Chegados ao alto e ás portas de tão bonita fortaleza comenta-se a subida como se de castigo se tivesse tratado…hehehehe. Comentários sobre Castelo Rodrigo basta este: qualquer um de nós não deve perder a oportunidade de visitar tal maravilha!... fomos pedalando pelas calçadas bordejadas por vasos e canteiros de coloridas flores… A torre sineira junto à entrada do Castelo é uma gota de tinta branca na imensidão dos tons cinzento e castanho da pedra que constitui este belo cenário!...
Castelo Rodrigo, 'Torre sineira'

Descemos calçada abaixo em direcção ao Convento de Santa Maria do Aguiar!.. o trilho leváva-nos agora para um imenso planalto um tanto monótono. Ao longo dos kms cruzamos rebanhos de gado, propriedades vedadas (tinhamos que abrir e fechar as cancelas), manadas de vacas, de quando em vez passavamos por aldeias… foram quase 40kms até começarmos a ver ao longe a bonita Vila de Almeida. Entramos pela Porta de São Francisco, impressionados com a beleza e arrumação da povoação.. esta é cercada por uma muralha em forma de estrela..todos nós sabemos.. vale a pena chegar ali respirar calcorrear as calçadas, neste caso pedalando, sentir que estamos ali..chegamos. Era o momento para parar numa esplanadadescansar e comer… umas deliciosas sandes com umas coca-colas fresquinhas..Que boa é a vida!... Paragem sem pressas, fotos tiradas… revisão aos próximos kms a fazer: tinhamos agora uma boa descida para o vale do Côa seguida de uma subida de uns 5kms.. tá-se bem!... borá lá

'Aos S's entre fragas de Granito até ao leito do Côa'

Descemos calçada abaixo em direcção ao Convento de Santa Maria do Aguiar!.. o trilho leváva-nos agora para um imenso planalto um tanto monótono. Ao longo dos kms cruzamos rebanhos de gado, propriedades vedadas (tinhamos que abrir e fechar as cancelas), manadas de vacas, de quando em vez passavamos por aldeias… foram quase 40kms até começarmos a ver ao longe a bonita Vila de Almeida. Entramos pela Porta de São Francisco, impressionados com a beleza e arrumação da povoação.. esta é cercada por uma muralha em forma de estrela..todos nós sabemos.. vale a pena chegar ali respirar calcorrear as calçadas, neste caso pedalando, sentir que estamos ali..chegamos. Era o momento para parar numa esplanada, descansar e comer… umas deliciosas sandes com umas coca-colas fresquinhas..Que boa é a vida!... Paragem sem pressas, fotos tiradas… revisão aos próximos kms a fazer: tinhamos agora uma boa descida para o vale do Côa seguida de uma subida de uns 5kms.. tá-se bem!... borá lá
K2BTT Team

Descemos e passamos sobre a ponte Romana, o Coâ ficava a correr e a subida era nossa de tal forma que parecia não acabar, o calor apertava naquela altura, seriam umas 13:00pm… passamos pelas aldeias de Ansul, Leomil, atravessamos a A25.. para chegarmos á Aldeia Histórica de Castelo Mendo, fizemos uma entrada fugaz na aldeia mas sufuciente para nos apercebermos que apesar de pequena Castelo Mendo faz justiça à sua fama de ser bela.. destaco o espectacular Pelourinho ´Manuelino’ e toda a zona do Castelo.. em ruínas é certo mas está lá!... À saída de Castelo Mendo esperáva-nos uma espectacular até o leito do rio Coâ (mais uma vez lá estava ele)..ao S’s num caminho de terra entre fragas de granito, foram uns espectaculares 4 kms sempre a descer até ao fundo vale… de quando em vez lançavamos o olhar e lá estava Castelo Mendo e a sua muralha… boredejada pela cor verde da vegetação e cinzenta do granito… Chegados lá abaixo cruzamos o rio numa zona ampla.. que parecia ser ponto de veraneio… seguimos caminho… a subida foi suave mas longa… chegado ao topo tinhamos uma longo planalto a percorrer… Não sei ao certo.. mas foram quase 2 dezenas de kms em estradão largo, até à Rebolosa!..

Para esta subida não foi preciso muito esforço :)
Estavamos a 20kms do Sabugal e a uns 35 da Sortelha!... tinhamos 100Kms feitos… Chagados ao Sabugal paragem para uma apetecívél caneca de panaché..soberbo… refrescante e bom..esplanada.. subida ao Castelo as fotos da prache. Eram 18:00 o Sol estava numa posição preveligiada e batia nas paredes do Castelo propocionando umas cores fantásticas…veja-se as fotos…Rumo á Sortelha.. o nosso ponto de chegada deste segundo dia!... Foi rápido, não seguimos pelo trilho fomos por estrada até á Sortelha..no dia seguinte o início da etapa era coicidente e teriamos a possibilidade de o percorrer. No caminho para a Sortelha do nosso lado esquerdo estava a Serra da Málcata que seria também local de passagem no dia seguinte…Foi bom chegar ao destino… 135kms foi dose (1950m acumulado).. a Casa da Cerca esperava por nós… Bem recebidos fomos… retemperamos forças com um banho e fomos jantar…
Sortelha, 'enfim chegados'
video
Não deixem de ver o Vídeo GR22 dia2

DIA3: Sortelha - Castelo Novo
Saídos da Casa da Cerca, situada no arrabalde, subimos até à zona histórica da Sortelha…excelente cenário nos propociona esta bela Aldeia Histórica.. não é para estranhar que seja não raras vezes utilizada como cenário para anúncios e filmes de realizadores nacionais e estrangeiros.. mas sem perder em pormenores.. a hora da visita é excelente são 9:00am não há turistas e raras são as gentes na rua… o sol é refletido nas paredes empedradas e dá uma tonalidade dourada ás paredes cinzentas!.... Visite-se e saboreie-se.
Sortelha
Rumo à Málcata!.. a saída sa Sortelha é a subir.. tomamos o trilho que é sombreiro, foram cerca de 15 Kms a subir até aos geradores eólicos da por entre pinheiro e carvalho!... depois disso o trilho é feito em pinhal e com um forte cheiro às giestas de Verão, perdoem-me os entendidos não sei se são gietas mas que o jeirinho é bom e lembra o Verão não tenho dúvidas… sempre a descer até uma albufeira de Miemão em plena Reserva Natural da Serra da Málcata no concelho de Penamacor!... Neste início de dia paramos algumas vezes e não estavamos a avançar muito no terreno!... a determinada altura com saimos do trilho por engano e entramos num terreno extremamente poeirento… tratava-se de um grande terreno que estava a ser preprado para uma qq plantação foram 1 kms a pedalar nestas condições… terrívél com o pó pela altura dos pedais!.. valeu-nos um amável morador que nos disponibilizou mangueira e água fresca para bebermos e lavarmos as ‘montadas’

Vasco, 'de onde vens.. e para onde vais...'
Com 38kms feitos fizemos uma decidida paragem para comer… na Meimoa.. a partir daqui avançamos verdadeiramente no terreno… já próximos de Penamacor rolamos pela estrada alguns quilómetros (trilho) saídos da estrada entramos numa zona de eucaliptos depois de subir um pouco seguimos um caminho ligeiramente a descer.. foram alguns kms a boa velocidade.. até à estrada, Penamacor ao nosso lado direito ficou para trás.. o nosso próximo destino era Monsanto.. aldeia sobre um monte que já se avistava lá ao fundo!...

Marcações do GR22

Monsanto a mais bela e mais portuguesa de todas as Aldeias…. Bem pedaláva-mos mas o nosso destino tardava a ser alcançado!... o monte esse estava sempre à vista ..bem destacado no meio de um planalto…. Sempre por caminhos, o trilho era seguido..os kms somavam-se e o astro Solar sobre os nossos capacetes não nos dava descanso… não corria brisa e o calor era intenso!.. o monte estava mais perto mas mesmo assim ainda tardava a ser alcançado, a fazer lembrar o monte St. Michael da Normandia francesa plantado no meio do mar… que me perdoem mas Monsanto é muito mais bonito…

'A bela Monsanto'
Bom chega de suspense… abordamos Monsanto por estrada, de acordo com as marcações, uma subida ingreme nos esperava.. foram uns 6 kms sempre a subir com percentagens de 10..15%..non stop até á torre emblemática da Aldeia!... Arre que esta foi dura!... Impecável… depois de nos passearmos calmamente pelas ruas da aldeia.. subimos à ‘Taverna Lvsitana’ e fomos banqueteados no terraço panorâmico com umas sandes fabulosas… some-se as vistas… para um lado Penha Garcia – Monfortinho – Espanha e para o outro todo o planalto até A Serra da Gardunha…. Lá ao Fundo o nosso destino Castelo Novo a 55Kms... veja-se as fotos.. Descemos Monsanto por um caminho empedrado.. que fora a subir seria tramado!... segue-se as marcas no terresno mas sai-se fora do track do GPS, ao chegar cá abaixo vai-se ao encontro do tracK. Reparo ao fazer zoom out no GPS que vamos fazer um longo desvio ao caminho!... Decide-se então atalhar para Idanha-a-Velha.. apanha-se o trilho um pouco mais à frente e poupa-se 10Kms de viagem… Entra-se em Idanha-a-Velha para uma visita rápida…temos que rolar são 16:30pm.. está calor ainda e temos longos kms a fazer ainda…
'Castelo Novo..o final do desafio'

Avança-se rápido no trilho até Proença-à-Velha… estamos com 120kms..pára-se para refrescar com uma bebida fresquinha.. na esplanada os habitantes locais discutem a presença dos geradores eólicos nos topos da montanhas – opiniões… Um de nós está fraco, temos que manter a chama acesa..uma dose de xarope energético tem o poder de ressuscitare rápidamente e põem-nos a rolar pela estrada a 35-40kms/h.. está-se bem!... nesta altura proavança-se rápido no terreno!... Castelo Novo está perto, antes 12kms perdemo-nos um pouco do trilho.. mas a vontade de acabar é muita.. logo que o trilho é alcançado volta-se a progredir forte…. Está lá em cima, a subida é longa e inclinada..nem uma matilha de cães com mau feitio nos fazem parar!..bem pelo contrário aceleram-nos a pedalada!.... chegamos com 140kms feitos e 2450m acumulado…
No Total foram 400Kms e 6650m acumulado em 3 dias.. puro BTT… diversão… companheirismo… partilha… prazer…Amizade.

BFOUR K2BTT..'ao melhor nível'

Esperáva-nos o Rui, o meu simpático e sempre prestável primo!... Veio de Oliveira de Azeméis recolher-nos a Castelo Novo para de seguida nos conduzir a Linhares da Beira.. Não há palavras MUITO OBRIGADO.. Na praia fluvial onde nos esperava para comemorar saborea-mos umas quantas ‘minis’ entremeadas por um banho frio para retemperar os músculoas das pernas.. Seguiu-se um jantar.. após o qual tínhamos uma longa viagem de carro a fazer!...
O Rui Miranda o meu incansável primo, eu mesmo o Vasco e o Fernando
video
Para finalizar o video de GR22 dia3
Bem Haja
K2BTT
‘sempre a pedalar por um trilho diferente

sábado, 1 de agosto de 2009

Geo Raid Serra da Estrela


Chegamos a Serra da Estrela por volta da meia noite. Ficamos alojados com os Mula Raider´s de SantaMaria da Feira num dos Chalés de montanha da Turisestrela. O local era acolhedor e cómodo. Totalmente feito em madeira e com capacidade para seis pessoas é uma excelente opção para um fim de semana na montanha mais alta do nosso pais. Embora tivesse-mos falhado o brifieng ouvimos falar que distância do percusro tinha sido diminuída devido ao enorme calor que se previa para o fim de semana. Embora a parte eliminada (passagem por Linhares) fosse muito bonita e interessante acabou por ser uma boa opção da organização.
Geo Raid Estrela dia 1



A nossa partida foi dada as 08:26h e o arranque em estrada permitiu desde logo velocidades elevadas. A primeira parte do percurso incluía uma descida de cerca de 2º km desde as Penhas da Saúde até S. Gabriel (perto de Manteigas).


A descida era dura e perigosa e ainda no inicio surgiu o primeiro azar… uma queda do Quim, nada de muito grave, apenas umas medalhas no braço e perna. Com a queda tivemos ainda que alinhar e reapertar o selim da bike, nada de grave mas foram cerca de 10 minutos para o tecto. Rapidamente voltamos ao activo procurando recuperar as posições perdidas. A descida convidada a um andamento forte e a vista sobre o vale do glaciar era fantástica. Com a passagem do Rio Zêzere iniciamos a subida ao topo de São Lourenço. Ainda no inicio da subida já se sentia um calor muito forte e já usávamos a água do cantil para nos refrescarmos. O ritmo era forte e conseguimos alcançar muitas equipas que nos tinham passado. Assim que atingimos o topo a leve brisa que se fazia sentir ajudava a recuperar o fôlego. O calor continuava muito intenso e o Joaquim ressentiu-se um pouco do treino na semana anterior e nem sempre conseguimos a velocidade ideal pelos longos e rápidos estradões. Após o abastecimento perto do cume de S. Domingos dirigimo-nos em direcção à Santinha. A parte mais dura da subida foi num serpenteado da encosta com muito arvoredo. Ainda no inicio da só pensava em chegar a fonte a meio da subida.

A água estava gelada e ajudou a revitalizar o corpo e mente… mais um pouco até a Santinha.

O Francisco Moura a tomar um duche.

Uma vez lá em cima a temperatura baixou devido ao vento. Foi bom recordar estes trilhos anteriormente realizados em duas etapas da GR22.

Neste período andamos junto com mais algumas equipas enquanto os km passavam. Esta zona é caracterizada por estradões largos e muito rápidos. O piso é bom e rolante e a paisagem, bom essa é fantástica… Independentemente da cadência da pedalada e do esforço até nos abstraímos disso com a beleza que nos rodeava.

A descida para Manteigas foi dolorosa, custou mais que qualquer subida. Num trilho sinuoso aos “sss” pela encosta abaixo e com uma longa parte em paralelo foi uma coça para os braços e costas… Nem deu para descansar antes da última e longa subida pelo vale do glaciar. Nestes últimos 20 km tivemos a companhia de um sol abrasador com a agravante de não correr nenhuma aragem no vale. Na passagem para a margem este do Zêzere até foi dar um mergulho rápido…

Melhoria instantânea que durou talvez uns cinco minutos até estar completamente seco novamente. Após a passagem foi a rolar no alcatrão até a chegada. Víamos ainda algumas equipa ao funda mas já não dava para lá chegar. Na retaguarda não havia ninguém logo mantemos um ritmo até ao fim.

Geo Raid Estrela dia 2

Ao sinal da largada era impressionante o som da borracha dos pneus a rolar estrada abaixo em direcção a Covilhã. As duas faixas eram tomadas por “bttistas loucos” e sedentos de velocidade. Assim que saímos da estrada esperava-nos logo uma valente rampa cheia de pedra. Para não termos o azar do dia anterior tomamos alguma precaução. O pó no ar era muito e por vezes difícil de seguir junto a outra equipa.

Mal surgia a oportunidade metíamos uma abaixo e passávamos para a frente. Após cerca de 15 km a descer chagamos a Aldeia do Carvalho. Íamos numa óptima posição junto com algumas motas. Alternávamos a puxar e íamos somando lugares. Passada a aldeia o primeiro empeno. A fase inicial era em alcatrão mas a inclinação significativa. Muita gente se juntou e progredimos em conjunto. Ao chegarmos ao cabeço de Vila de Mouros iria iniciar-se a descida para Verdelhos. Nesta comentei com o Quim para atacarmos e passamos várias equipas. Acabou por ser inglório pois após iniciarmos a descida o Quim furou. Dasss…Foi um comboio de equipas que passou por nós ainda por cima porque tivemos imensa dificuldade em desapertar a válvula tubless. Teve que ser “a pedrada”. Com o stress na montagem da câmara escapou um pico no pneu. Após pedalarmos 200 metros lá estava o pneu novamente em baixo. Frustrados mas não desanimados retomamos a prova. A anciã de recuperar o tempo perdido levava a um andamento dos diabos. De facto estávamos fortes. Ritmo forte, água e gel energético foi sempre a abrir até Vale de Amoreira.

Com cerca de metade da prova feita atacamos a longa subida em direcção a São Lourenço. A subida era em estradão de terra batida por entre os pinhais. Excelente zona para pedalar e com muitos caminhos. A subida foi fácil e muito rápida. Mais uma vez passamos pelos camaradas MulaRaiders. Estava em disputa um campeonato interno do Chalé :).

Mais uma vez era frequente encontrar pessoal da organização presentes em vários locais além dos abastecimentos. Lá estava o António Queiroz (Director Prova) a encorajar o pessoal.

Estamos a andar bem e acima de tudo muito satisfeitos a gozar um verdadeiro dia de Btt. No topo encontramos tb os camaradas e irmãos da equipa GR. Mais um breve bate papo se vamos embora. Acontece de tudo nestas provas. Esta equipa um dos elementos andava sem o apoio do pedal de encaixe da bike. Eram adversários directos logo mais uma posição acima.
Ao descer do topo de São Lourenço mais uma vez o Quim furou. E agora nem câmaras tínhamos. Uma equipa desenrascou-nos uma e após o pit-stop regressamos ao pedal. Acho que temos que começar a treinar a mudança de câmaras de ar. Estamos a demorar mt tempo :)

Já só desejava-mos subidas e após o abastecimentos esperava-nos a pior subida o fim de semana. Se a memória não me falha passamos cerca de 14 equipas nestes últimos 20 km de subida. Era muito duro ainda por cima porque o piso estava mau. Alternando com frequência entre a posição sentada e em pé progredimos muito rápido. Nem tínhamos fôlego para falar. Era pedalar… pedalar… Assim que saímos da sombra do arvoredo apanhamos mais uma tosta. Os rostos do resto da malta eram tb de sofrimento e desgaste não só pela distância e altimetria mas tb pelo calor assolador.

Já no topo e a cerca de 5km do final já não víamos nenhuma equipa atrás e a tendência natural seria abrandar um pouco mas o Quim convenceu-me que poderia haver equipas distraídas na fase final. E não é que havia mesmo? O esforço final deixou-me muito cansado mas ia uma equipa logo ali… Já quase nos limites começamos a aproximar-nos até estarmos bem perto mas eles tb não queiram desistir até que um deles para com cãibras. Relaxei logo pois ia tb no limiar . Ainda acabamos por usufruir da quebra deles. A chegada estava já ali e concluímos mais uma duríssima prova. Durante o almoço fala-se em algumas equipas que tiveram azares com desidratação e quedas feias que levaram a alguns ossos partidos.
Bfour / K2Btt